ÔNIBUS COLETIVO DE GRAÇA E COM WI-FI

Parece mentira, mas isso é realidade na cidade de Ivaiporã, norte do Paraná, com cerca de 32 mil habitantes. Lembrando que um tempo atrás praticamente Rolândia ficou sem transporte coletivo. Na época, os proprietários da empresa disseram que não compensava explorar o serviço na cidade. Será que por aqui não daria pra ser igual a Ivaiporã? Creio que daria. Com a palavra nossas autoridades.


Homero José Dias Filho

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Do Blog do Berimbau em 29/09/2016


IVAIPORÃ - Prefeito entrega ônibus novos com Wifi grátis para população


Em evento no Terminal Urbano, o prefeito Carlos Gil e o vice Adail, entregaram cinco ônibus novos para o transporte coletivo gratuito 
O Prefeito Carlos Gil, o vice Adail, juntamente com  alguns membros da equipe administrativa, realizaram no Terminal Urbano, a entrega oficial de cinco ônibus zero-quilômetro, que serão utilizados no transporte coletivo gratuito. O investimento, com recursos próprios, foi de R$1,3 milhão. "Cada ônibus tem três partas, uma delas é de acessibilidade para cadeirantes e outras pessoas que necessitarem; também tem Wifi grátis, sendo assim, enquanto a pessoa está deslocando de um bairro para o outro, ou pelo centro da cidade, poderá acessar a internet",disse Carlos Gil. Durante seu discurso,  relembrou o início do seu governo e falou dos comentários maldosos da oposição, que diziam que o prefeito iria acabar com o transporte gratuita, o que era uma inverdade, porque tudo que é positivo precisa continuar. "Nós não só continuamos, como também melhoramos, vejam vocês que nos ônibus tem a inscrição: Transporte Coletivo Gratuito e de qualidade", afirmou o prefeito. Explicou ainda sobre muitas outras urgências que existiam  no começou de seu mandato, mas que com a venda da folha de pagamento, e o IPTU, proporcionou a compra dos coletivos.  Demais obras, ações, programas e convênios, foram citados pelo chefe do poder executivo. Ao final, o prefeito foi a cada coletivo e em todos, eram ovacionado pelos usuários do sistema que se mostraram  muito satisfeitos.  (veja mais fotos no link abaixo)
















SALÁRIO-EDUCAÇÃO

SALÁRIO-EDUCAÇÃO

Repasse a estados e municípios é R$ 912 milhões em novembro

    • Sexta-feira, 16 de dezembro de 2016, 17h21
    Está à disposição de estados, municípios e Distrito Federal, desde quarta-feira, 14, a parcela de novembro do salário-educação. Os recursos, de R$ 912,4 milhões, foram transferidos pelo Ministério da Educação, por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).
    Do valor total, foram destinados R$ 495,6 milhões a redes municipais e R$ 416,7 milhões a redes estaduais e do DF. Ao lado do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), o salário-educação é uma das principais fontes de recursos para a manutenção e o desenvolvimento do ensino. Trata-se de contribuição social recolhida de todas as empresas e entidades vinculadas ao regime geral da Previdência Social. A alíquota é de 2,5% sobre a folha de pagamento.
    Após a arrecadação, feita pela Receita Federal, cabe ao FNDE repartir os recursos — 90% em quota estadual e quota municipal (dois terços) e quota federal (um terço), além de 10% usados pela autarquia em programas e ações de educação básica.
    Distribuída com base no número de matrículas na educação básica, a quota estadual e a municipal são depositadas mensalmente em contas-correntes das secretarias de Educação. A federal é destinada ao FNDE, para reforçar o financiamento da educação básica, de forma a reduzir os desníveis socioeducacionais entre municípios e estados.
    O montante transferido a cada ente federativo pode ser conferido na página do FNDE na internet.
    Assessoria de Comunicação Social do FNDE
    Fonte: http://portal.mec.gov.br/

    CONCURSO IFPR 2017


    Uma nova oportunidade pra quem deseja conquistar um emprego público. O IFPR, Instituto Federal do Paraná está novamente com as inscrições abertas para concurso público visando a contratação de novos servidores.

    As vagas são para TÉCNICOS ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃOPROFESSOR DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO. São cargos que exigem nível médio ou superior (Ex: psicólogos, pedagogo, assistente social), sendo que o salário ofertado R$ 4.234,77, dependendo da formação.

    As inscrições poderão serem feitas até 05 de janeiro de 2017.

    Click para ler o Edital do concurso: http://cdn.cetroconcursos.org.br/arquivos/5523-1dN5.pdf

    Click no link para cadastro e inscrição: http://www.cetroconcursos.org.br

    REFORMA PREVIDENCIÁRIA

    Reforma da Previdência: entenda o que pode mudar na sua aposentadoria
    Imagem do site http://www.news.com.au/
    210
    Do UOL, em São Paulo
    06/12/201613h53
     Ouvir texto

    0:00
     Imprimir Comunicar erro
    ·         Getty Images
    O governo apresentou seu projeto de reforma da Previdência. Pela proposta de emenda constitucional, a idade mínima para se aposentar será de 65 anos, com pelo menos 25 anos de contribuição à Previdência. Mas, na prática, para receber 100% do valor, será preciso contribuir por 49 anos, mesmo que tenha atingido os 65 de idade.
    ·         1Considera que algumas coisas devem mudar mesmo, mas discorda de outras
    Saiba mais
    53,36%
    ·         2Acredita que nada deveria mudar
    Saiba mais
    25,54%
    ·         3Acha inevitável
    Saiba mais
    18,93%
    ·         4Não sabe das novas regras
    Saiba mais
    1,45%
    ·         5Não se preocupa porque tem outras rendas
    Saiba mais
    0,71%
    36.115 votos
    O projeto ainda vai ser analisado pela Câmara e pelo Senado e só deve entrar em vigor em 2017.
    A regra passa a ser a mesma para homens e mulheres. As mudanças valem para trabalhadores de empresas privadas, servidores públicos e políticos. Militares ficam de fora.
    Quem já tiver tempo de aposentadoria pelas regras atuais não é prejudicado, mesmo que não tenha dado entrada nos papéis.
    http://t.dynad.net/pc/?dc=5550001892;ord=1481111418476https://t.dynad.net/pc/?dc=5550001577;ord=1481111424789
    Trabalhadores mais velhos vão ter uma regra de transição, mais benéfica: homens com 50 anos ou mais e mulheres com 45 anos ou mais só terão de trabalhar 50% a mais do que falta hoje para sua aposentadoria. Se faltarem dois anos, trabalhariam três, por exemplo.
    Entenda a seguir os principais pontos da reforma da Previdência:
    QUEM SERÁ AFETADO
    http://imguol.com/c/noticias/cf/2016/12/06/previdencia-09-1481044803028_615x111.png
    Homens com menos de 50 e mulheres com menos de 45 anos
    Devem se aposentar usando as novas regras.
    Homens com 50 anos ou mais e mulheres com 45 anos ou mais
    Terão uma regra de transição mais suave:  vão trabalhar 50% a mais que o tempo que falta para se aposentarem. Por exemplo: se faltavam 2 anos para a aposentadoria, trabalharão 3 anos.
    QUEM NÃO SERÁ AFETADO
    http://imguol.com/c/noticias/4f/2016/12/06/previdencia-10-1481044853330_615x111.png
    Quem já está aposentado
    Quem já recebe aposentadoria ou pensão já tem direito adquirido, ou seja, não vai terá nenhuma mudança no valor de seu benefício.
    Quem já puder se aposentar até a aprovação da reforma
    Não será afetado pelas mudanças, mesmo que não tenha dado entrada no pedido de aposentadoria. Isso vale até que as mudanças sejam aprovadas pelo Congresso e passem a valer, o que não tem data definida para acontecer.
    Ou seja: quem já atingiu as condições para se aposentar, ou atingir até que a lei entre em vigor, não precisa correr para pedir a aposentadoria. Essa pessoa vai se aposentar com as regras atuais.


    IDADE MÍNIMA
    http://imguol.com/c/noticias/a0/2016/11/10/previdencia-01-1478786378207_615x111.png
    Como é hoje
    Não há idade mínima para a aposentadoria por tempo de contribuição. A exceção é a aposentadoria por idade: 65 anos (homem) e 60 (mulher).
    O que foi proposto
    Idade mínima para todos: 65 anos. Sobe no futuro, gradativa e automaticamente quando aumentar a expectativa de vida após 65 anos. A previsão do governo é que 
    até 2060 chegue a 67 anos de idade mínima.


    HOMENS E MULHERES FICAM IGUAIS
    http://imguol.com/c/noticias/13/2016/12/06/previdencia-11-1481044919855_615x111.png
    Como é hoje
    Mulheres se aposentam cinco anos antes que os homens.
    O que foi proposto
    As regras passam a ser as mesmas para homens e mulheres: todos precisam de pelo menos 65 anos de idade e 25 de contribuição.


    TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO
    http://imguol.com/c/noticias/d4/2016/11/09/previdencia-02-1478724093327_615x111.png
    Como é hoje
    Mínimo de 15 anos para quem se aposenta por idade. Quem se aposenta por tempo de contribuição, são 35 anos (homens) e 30 anos (mulheres).
    O que está na proposta
    Mínimo para todos: 25 anos (mas para receber 100%, 
    na prática terá de ser 49 anos)


    CÁLCULO DO VALOR
    http://imguol.com/c/noticias/4c/2016/12/06/previdencia-03-novo-1481044735944_615x111.png
    Como é hoje
    O valor depende do tipo de aposentadoria (se é por idade ou por tempo de contribuição, por exemplo) e também do tempo que a pessoa trabalhou. É possível conseguir o valor integral com tempo de contribuição de 35 anos (homens) e 30 anos (mulheres), caso se enquadre nas 
    regras do 85/95.
    O que está na proposta
    Quem cumpre os prazos mínimos (65 anos de idade e 25 anos de contribuição) não ganha aposentadoria de 100% de seu salário, mas apenas 76%. Para chegar aos 100%, é preciso trabalhar mais: ganha 1 ponto percentual por ano de trabalho adicional. Por exemplo: se contribuiu 30 anos (5 anos além dos 25 obrigatórios), vai ganhar cinco pontos percentuais e ficar com 81% da média de salário (76% + 5). 
    Para ganhar 100%, será preciso contribuir por 49 anos.


    SERVIDORES PÚBLICOS E POLÍTICOS
    http://imguol.com/c/noticias/e0/2016/11/09/previdencia-05-1478725085425_615x111.png
    Como é hoje
    Servidores públicos e políticos têm regras próprias de aposentadoria, diferentes de quem se aposentou trabalhando em empresas privadas. 
    O que está na proposta
    Os funcionários públicos passarão a seguir as mesmas regras que os trabalhadores de empresas. Entre elas, a idade mínima de 65 anos e a necessidade de contribuir por 49 anos para receber o valor integral.


    MILITARES
    http://imguol.com/c/noticias/6f/2016/11/10/previdencia-06-1478787221735_615x111.png
    A reforma da Previdência não inclui os militares, que têm e continuarão tendo regras próprias para aposentadoria. O governo afirma que deve elaborar um projeto de lei separado para também mudar as aposentadorias deles. 


    PENSÃO POR MORTE
    http://imguol.com/c/noticias/f3/2016/11/09/previdencia-07-1478725172473_615x111.png
    Como é hoje
    Uma pessoa pode acumular pensão por morte e aposentadoria. O valor não pode ser menor do que o salário mínimo.
    A pensão é 100% do valor da aposentadoria que o morto recebia ou a que teria direito se fosse aposentado por invalidez.
    O que está na proposta
    Não pode acumular pensão e aposentadoria, é preciso escolher um dos dois. Ela pode ser menor do que o salário mínimo.
    A pensão deve ser de 50% da aposentadoria do morto, mais 10% por dependente. Mesmo que não tenha filho, o cônjuge vivo conta como dependente, ou seja, no mínimo, a pensão de 60%. O máximo é 100%.
    Quando o filho ficar maior de idade, os 10% dele param de ser recebidos. Por exemplo: se o morto deixou uma viúva e um filho, eles recebem 70% até esse filho ficar maior de idade. Quando isso acontecer, a viúva passa a receber 60%. 


    POLÍTICO X POVO X EMPRESÁRIOS


    Hoje, 23/07/2016, assisti uma entrevista concedida pelo navegador Amyr Klink, ao "programa Cidade Entrevista". Uma fala do entrevistado foi sobre o problema que o país enfrenta para poder avançar. Ele falou em alto e bom som que o problema se encontra na ineficiência de nossos governantes, da cultura malandra do brasileiro e do nosso empresariado, que nas palavras do mesmo tem uma cultura oportunista.

    Peguemos a última frase do parágrafo anterior. Cultura oportunista.

    Não sou cego pra não compreender a fala do navegador, que é empresário também. Ele fez uma boa análise. Não culpou somente os políticos como é de praxe. Culpou o brasileiro e empresariado nacional também. E é sobre isso que quero falar.

    Outro dia li um comentário feito num site, sobre o investimento que milhões de jovem brasileiros fazem para passar em concursos públicos de órgãos estatais e no setor público como um todo. O comentário era o seguinte: “nos EUA o jovem se prepara para ser um empreendedor, no Brasil para conquistar um emprego público”. Não desconsidero por total essa crítica, que dependendo da análise de quem lê pode ser boa ou má. Mas pensemos. Se o setor privado não faz a sua parte ao não oferecer melhores salários, condições dignas de trabalho, carga horária condizente (dias e horas de trabalho) e o principal, estabilidade no emprego, tal qual ocorre em países mais desenvolvidos, exemplo, Alemanha, como o foco deixará de ser a aprovação num concurso público?

    Falo isso por encontrar no serviço público a segurança e realização que nunca tive no setor privado. No Brasil não há uma cultura empresarial de se preocupar com o bem estar de seu funcionário. A visão é de máquinas e não seres humanos. Raras são as empresas que possuí uma visão mais humanizante para com seus colaboradores. A ideia, infelizmente, da grande maioria, sendo pequenos, médios ou grandes, é obter mais com investimentos humano de menos.

    Não tenho pensamento de esquerda, não sou de direita ou adepto por completo do liberalismo. Mas observando alguns elementos de ambos os pensamentos, sem me deixar seduzir por completo por uma ou outra ideologia ou pensamento, consigo ver alguma coisa que faça sentido. O problema é a ótica de quem vê.

    Sei que as questões de ordem tributária do Brasil, que massacra a todos indistintamente ,faz toda a diferença. Mas se o setor produtivo quer que haja mudança nos rumos do país, precisa fazer a sua parte também. Sindicatos ativos ou inoperantes, só existem por conta de empresários que não estão dispostos a observar seres humanos como seres humanos, com necessidades e preocupações como as suas e não o contrário. 

    O Dia da ávore


    Pois é. Ontem foi dia 21 de setembro, dia da árvore. Estranho uma data que agora é tão mais 

    cheia de significados do que antes tenha passado “no vácuo”.


    Lembro que nos tempos de escola, a data era amplamente trabalhada em sala de aula. 

    Mas hoje, no momento em que mais deveria ser divulgado sobre a árvore e a sua 

    importância vital para o homem, o tema não recebe nenhuma atenção.  E olha que nesses 

    dias de calor intenso como uma sombrinha faz bem ao corpo e alivia a alma.

    Se antigamente as crianças pintavam as árvores em cartazes em sua homenagem, hoje o que 

    devia ser feito é o plantio das mesmas por nossos pequeninos, para que tenhamos futuro e 

    que a figura dessa planta não fique somente nos quadros ilustrativos com os dizeres “Isto 

    era uma árvore!”.

    REFORMA POLÍTICA, MAS QUE REFORMA?



    Muito se esperava dessa bendita reforma política, mas a perceber pelas últimas votações na câmara federal, tudo deve permanecer como está.

    Nada do fim das coligações, que fomentam os acordos políticos, que ajudam as criações e permanecia dos cabidões de emprego, que emperram as contas públicas.

    Nada do fim das doações de empresários para as campanha políticas, o que ajuda muito a corrupção, o toma-lá-dá-cá, raiz de muito da corrupção e fraudes em licitações que existem por aí.

    Nada do fim do voto obrigatório. O eleitor continuará indo para as urnas votando não por consciência mas por pura obrigação.

    Nada do fim da reeleição para deputados, vereadores, senadores. Continuaremos vendo alguns indivíduos ocupando função pública quase que eternamente! A reeleição que não será mais permitida é somente para prefeitos, governadores e presidente. Mas se a câmara aprovou a mudança, não deve ser coisa boa para o eleitor, mas sim para eles mesmos.

    Nada de voto distrital. O eleitor continuará elegendo gente que ele não conhece e que nunca mais verá durante os quatro anos de mandato. Continuará valendo o efeito "Ratinho" ou "Tiririca".

    A reforma que era pra atender aos movimentos de junho de 2013 (cadê o movimento agora?) nada mais é do que uma "mãozinha de verniz". 

    E a população brasileira? Onde está nisso? O que pensa?

    O que chamou a atenção do povo sobre o assunto REFORMA POLÍTICA, foi o fato de alguns deputados estarem assistindo um vídeo pornô no horário das discussões. Isso pra mim foi irrelevante. A reforma política não é irrelevante!