E a saúde?


Essa continua a mesma. Ainda que existam os defensores, a impressão que dá é que além de não melhorar, piorou um pouquinho.
Fazia dois anos que eu não buscava atendimento em posto de saúde. Infelizmente, na semana passada precisei buscar ajuda na UBS mais próxima de minha casa, pois o fato de estar a algumas semanas com tosse me preocupou.
Já no posto de saúde, após medir pressão e aguardar por 40 minutos, a enfermeira informou que o meu caso não era emergência. Disse que poderia procurar o posto de saúde no outro dia para tentar uma vaga de algum desistente ou agendar para daqui 20 dias. Isso mesmo, 20 dias.
Acho um absurdo essa história de agendamento para 05, 10 ou 20 dias. Quem procura atendimento médico, deseja solução para o seu problema no ato.
"Regular vaga" também é o fim. Imagine só, o cidadão paga seus impostos e quando busca o SUS, lhe é negado atendimento por dizerem que seu caso não é de urgência. Será que é preciso chegar com atadura, vomitando, amarelo ou verde pra ser atendido?
Na negativa de fazer consulta na UBS, procurei o nosso Hospital. Lá, após 01 hora esperando, escuto o mesmo da enfermeira. O curioso é que ela disse que o meu caso era de Posto de Saúde, e não hospital. Pode isso?
Conclusão: após negativa de atendimento nas unidades de saúde, (UBS e hospital) de nossa cidade, que funcionam graças aos nossos impostos,
passei na farmácia e me "consultei" com um balconista que me receitou xarope. Como não adiantou, vou ter que pagar um médico particular para receber atendimento, pois os sintomas ainda permanecem.

Para refletir: O preço de uma consulta pode chegar a R$ 250,00, quase a metade de um salário mínimo.

Proxima
« Anterior
Anterior
Próximo Post »