Meio Ambiente: Educação + Mudança



*Texto escrito por Anderson Buss Cardoso e publicado originalmente na comunidade do Orkut "Sim! Dá pra ser diferente em 18/12/2010.

Educação

Ministrando muitas palestras pela região, desde escolas municipais até Universidades, vejo que realmente dá para ser diferente, sobre a questão ambiental, especialmente o ato mais simples e que possui um impacto enorme: Coleta Seletiva.

Fala-se em implementação de uma disciplina escolar especial sobre meio ambiente, (existe os antigos temas transversais) abordamos questões de alteração de empresa que realiza a coleta (temos exemplos pela região positivos e negativos), enfim, de nada adiantará se a cultura de nosso povo não for alterada.

E de que forma se altera uma cultura, de uma população, que diz segregar o resíduo em casa, se na rua espalha bitucas de cigarro, papeis de bala, chicletes, televisões, rádios, sofás, etc? (visitem o aterro, caminhem pelos rios da região)

Muitas ações em conjunto devem ser estudadas. Sigamos o exemplo de países Europeus e dizem ainda que o Brasi possui a melhor legislação ambiental.... Voltamos ao passado... Só para Inglés Ver... Ainda precisamos melhorar.

Mudanças

As vezes saímos de nossa cidade, e começamos a reparar nas mudanças que ocorrem com relação ao nosso meio ambiente.

Passei alguns dias em nosso litoral e como corre em minhas artérias sangue de BIÓLOGO, observo muito relação fauna/flora e poluição causada pelos veranistas. É incrível o descaso da população, a falta de educação e ainda me questiono.... INCRÍVEL SOMOS SERES DOTADOS DE "INTELIGÊNCIA" basta apenas descobrir qual, enfim falta muito para que haja uma harmonia entre Homo sapiens e Gaia e nem vou comentar os fatos ocorridos no RJ e SC.

Mas onde gostaria de chegar, após retornar para minha cidade natal, comecei a reparar, nossa passa 10 dias, 15 dias e nada muda... mero engano.

Fui apenas dar uma volta pela cidade contei pelo menos 6 árvores a menos. E como fui membro do COMDEMA, até imagino o motivo do corte das árvores: "Gera muita sujeira, está arrebentando a calçada, essa árvore vai cair, (ouvia esses comentários enquanto Conselheiro e Vice-Presidente do Comdema) e fora as podas radicais que ocorrem.

Claro, há situações que devem ser analisadas, mas por que o corte? enquanto há no município áreas que estão desprovidas de vegetação.
Há quanto não se faz um estudo de nosso arborização urbana, caso não esteja enganado, apenas o meu estudo, enquanto acadêmico de Biologia desenvolvi o trabalho que ainda tenho.

E mais uma vez deixo claro, ARBORIZAÇÃO URBANA, NÃO É PEGAR MIL, 2 MIL MUDAS, FAZER UM BURAQUINHO MINÚSCULO E PLANTAR A ÁRVORE NO PASSEIO, COMO FOI FEITO E FICA AQUI, TEREMOS PROBLEMAS FUTUROS. Pena que ninguém escuta o lado científico....


Como nosso grande Homero diz, SIM, DÁ PRA SER DIFERENTE!, claro que dá, apenas realmente olhar ao redor, aceitar as mudanças e parar com sensacionalismo e auto-promoção.

O ambientalista Anderson Buss Cardoso é biólogo formado pela FAP e Bacharel em Letras pela UEL.

Proxima
« Anterior
Anterior
Próximo Post »
1 Comentario
avatar

Nossa Homero, fico muito lisonjeado pela sua publicação em seu Blog. Este de muita repercussão e muito acessado. E friso mais uma vez.MEIO AMBIENTE: EDUCAÇÃO+MUDANÇA e mudança com atitude concreta de todos e não apenas o famoso BLÁ, BLÁ BLÁ.. Pena que poucos como você se atentam a essência. Muito obrigado. Um grande abraço. Anderson Buss Cardoso. Biólogo

Balas