As Lições da tragédia de Santa Maria



Incêndio deixa mortos em boate de Santa Maria (Foto: Germano Roratto/Agência RBS)

Podem achar que eu assim como outras pessoas que antevêem um problema faço às vezes de uma “ave agoureira”. Mas não é isso. Já diz o ditado que é “melhor prevenir do que remediar”.
Quem tem criança bem pequena em casa sabe que não podemos dar a ela um objeto menor que sua boca. É sabido por todos que toda criança, ainda em seus primeiros anos de vida, tem o costume de levar tudo na boca.
Depois da tragédia de Santa Maria, o que se viu na TV foram notícias de que dezenas (ou centenas) de prefeituras estão tomando atitudes enérgicas em relação ao funcionamento de bares, boates e similares. O governador de São Paulo deu até entrevista coletiva pra falar sobre o assunto.
Agora pergunto: Por que só agora? E se não tivesse ocorrido essas mais de 230 mortes, tudo caminharia da mesma maneira.
A lição de Santa Maria não deve servir apenas para que as prefeituras e órgãos competentes fiscalizem apenas prédios que servem para shows e eventos. É necessário que se faça tudo o que for necessário para a prevenção de acidentes pequenos, médios ou grande, como aconteceu na cidade gaúcha.
A prevenção se faz necessária na construção de redutores de velocidades, na manutenção de equipamentos públicos. O perigo se encontra num brinquedo de um parquinho, bem como na trave de um capo de futebol que pode vir a cair, assim como aconteceu em Cambé.
Não precisamos de um instrumento de “futurologia”, mas apenas de precaução e visão aguçada.

Proxima
« Anterior
Anterior
Próximo Post »